EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS, CLARE VANDERPOOL, DARKSIDE BOOKS

#emalgumlugarnasestrelas #clarevanderpool #sentapraler #leitura #lido #amoler #leituracoletiva #resenha #debateliterário #leitura #livros #amolivros #bookblog #bookgram #sentapraler #spl #lerévida



Em Algum Lugar nas Estrelas, Clare Vanderpool

Em Algum Lugar nas Estrelas é um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker. Sua mãe morreu e seu pai… bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho. Jack é então levado para um internato no Maine, a indiferença dos outros alunos faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early Auden. Quando chegam as festas de fim de ano, a escola fica vazia. Todos os alunos voltam para casa, para celebrar com suas famílias. Todos, menos Jack e Early. Os dois aproveitam a solidão involuntária e partem em uma jornada ao encontro do lendário Urso Apalache.


Como minha primeira indicação, não poderia deixar de começar com o livro dessa editora maravilhosa que nos encanta a cada edição lançada.


Confesso que “Em algum lugar nas estrelas” foi minha primeira leitura da Darkside, fui encantada pela arte da capa e as figuras (presente de um cliente que visitava a livraria onde eu trabalhava).


O livro começa um pouco lento até que você conheça os personagens e suas histórias de perda, mas ao decorrer da leitura ela vai fluindo bem, a ficção misturada com realidade faz com que o livro tenha o encaixe certo e um desfecho emocionante.

Durante a leitura me diverti, me emocionei e me encantei pelos personagens a cada página virada. Curiosa para saber como eles iriam se virar e sobreviver a essa jornada foi quase impossível adiar os próximos capítulos.


“Ás vezes, é melhor não ver todo o caminho que se estende diante de você. Deixe a vida surpreendê-lo, Jackie. Há mais estrelas por ai do que as que já têm nome. E todas são lindas.”



A amizade que Jack um garoto de 13 anos ainda se adaptando com a situação da perda da mãe e do abandono do pai, faz com Early, um garoto que faz o que quer no internato sem supervisão e acredita que o número PI (3,14) e suas dezenas contam histórias fantásticas e acredita que seu irmão não morreu durante a guerra e sim que está perdido e precisa ser encontrado, isso tudo torna ainda mais interessante a amizade entre os dois. Early tem spectro autista (TEA) e suas características se assemelham ao que antigamente era chamado de síndrome Asperger mas como a história se passa nos anos de 1945 pós segunda Guerra Mundial, eles ainda não tinham o diagnostico assim o classificando como “estranho”. Com sua genialidade e bom gosto para música a construção que a autora faz desse personagem e altamente fantástica fazendo você querer saber ainda mais sobre ele e suas manias, como organizar quais músicas irão tocar em cada dia da semana e separar jujubas por cor quando está nervoso.

Em Algum Lugar nas Estrelas, Clare Vanderpool


Essa jornada entre os dois fazem com que descubram novas coisas, vivam experiências que eles como personagens e nos como leitores dessa bela história nem poderíamos imaginar.


O valor de uma amizade verdadeira faz com que conheçam melhor um ao outro e compartilhem suas histórias de perda e medos mostrando que estes dois garotos têm mais coisas incomuns do que imaginavam, e tudo isso guiados pelas constelações em especial a constelação ursa maior.


É um livro que vai falar muito como esses personagens se sentem e como cada um lida com suas próprias perdas, foi o romance mais fofo e cheio de aprendizados sobre amizade verdadeira, esperança, números, constelações, perdas e empatia que já li.

Se quiserem entrar nessa história de cabeça assim como eu, a editora tem uma playlist no spotify que eles fizeram cheia de músicas que Early escuta e muito mais com o nome de Em algum lugar nas estrelas (Clare Vanderpool) ”.


Espero que tenham gostado e até a próxima indicação, bjs!


Mari Caetano

77 visualizações11 comentários