O CEIFADOR, NEAL SHUSTERMAN

#livros #leitura #lendo #lido #books #livro #ler #amoler #literatura #book #bookstagrammer #brasil #reading #amolivros #instalivros #bookstagram #pensamentos #igliterario #leitores #livroseleitura #leitoracompulsiva #livrosnovos #euamoler #leitor #livroseleituras #leitora


PRIMEIRO MANDAMENTO: MATARÁS


A humanidade venceu todas as barreiras fome, doenças, guerras e misérias... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda eternidade.


Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - um papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a "arte" da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão - ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais - podem colocar a própria vida em risco.


Se um ceifador misterioso batesse em sua porta se oferecendo para o jantar e fizesse perguntas demais? E se ele aparecesse em sua escola para coletar um colega não tão próximo seu?




“Será que já tivemos algum inimigo pior que nós mesmos? ”




O primeiro Volume de Neal Shusterman “O Ceifador” é divido em cinco partes e dois eventos importantes. No começo do livro temos o Honorável Ceifador Faraday cruzando o caminho de Citra que se tornará sua aprendiz, ele acaba a analisando vendo sua astúcia e humanidade. Mais adiante temos o encontro não proposital do ceifador com Rowan, um rapaz que não deixou que seu colega de classe fosse coletado em vão sem ter alguém ao seu lado mesmo não sendo seu melhor amigo, isso fez com que o ceifador visse também a humanidade de Rowan em sua atitude.


Apesar de nenhum dos dois quererem ser um ceifador, o primeiro requisito era exatamente esse, pois aquele que mata por querer já não tem mais sua humanidade, algo muito importante para executar a função de um ceifador.


A oferta não é o que queriam mas a recompensa traria imunidade para suas famílias da coleta, o que na era da imortalidade significa muito.

O Ceifador, Neal Shusterman


Os adolescentes deixam suas famílias e vão para casa do Honorável e misterioso Ceifador para começar seus aprendizados até a primeira reunião dos ceifadores.

Começamos ao segundo evento importante do livro quando uma reviravolta separa os dois aprendizes sendo escolhidos por dois novo ceifadores para terminar seus treinamentos como aprendizes.


Citra é escolhida pela Ceifadora Marie Currie, discreta, destemida e sabia.

A sorte não sorrirá para Rowan sendo escolhido pelo pior e mais perverso ceifador, Goddard aquele que lida com a colheita como esporte e tudo em sua volta reflete seu ego exagerado.



Apesar de ter gostado da leitura achei que alguns personagens deveriam ter sido mais explorados como a Nimbo – cúmulo, uma inteligência maior do que a nuvem que conhecemos hoje. A leitura não é cansativa as reviravoltas despertaram a curiosidade para que queira saber o final do livro mas também me deixaram duvidas que espero que esclareçam no próximo livro.


Durante a leitura há partes de diários de alguns ceifadores expressando seus sentimentos ou descrevendo seus dias exaustivos e muitas vezes reflexivos sobre como veem o mundo e suas morais.


O livro fala da morte, moral e da imortalidade que muitos desejam ter mas que se torna algo sem esperança e muitas vezes doloroso em uma era que a morte não é mais o fim. Se você vivesse em uma sociedade imortal qual seria seu objetivo de vida? Sua paixão ou expectativa da vida? O livro mostra possíveis resultados dessas perguntas, mas no final acabei pensando como seria minhas respostas. .


“ Antes o fim da vida humana ficava nas mãos da natureza. Mas nós a roubamos. Agora temos o monopólio a morte. Somos seu único fornecedor. ”




Espero que tenham gostado, logo mais venho com a continuação do livro!

Bjs e até a próxima!


29 visualizações1 comentário